INTELIGÊNCIA: É PRECISO USAR BEM.
Setembro, 2015

Não devemos confundir inteligência com esperteza, ou com a capacidade de executar bem uma certa tarefa ou nem mesmo com cultura. Para nós – e devemos ter lido isso em algum lugar -, inteligência é a capacidade de lidar com coisas novas, de tratar com o inusitado.

A pessoa inteligente resolverá bem um teste específico da sua área, entenderá uma explicação sobre o funcionamento de algo que nunca viu na vida, fará perguntas elucidativas e mergulhará fundo num problema até descobrir a sua causa, seja ele uma complexa questão empresarial, seja um entupimento da pia do banheiro.

Alguns podem ter mais inteligência para coisas concretas e objetivas, outros para a percepção e compreensão de aspectos abstratos, como as emoções e reações humanas. Por esta razão, uma pessoa sem estudos e sem cultura, pode ter uma grande habilidade no trato das pessoas, na educação dos filhos ou na compreensão da vida.

Acreditamos, contudo, que a inteligência pode ser estimulada, e que todos nós – mesmo os não superdotados -, a temos em dose suficiente e de sobra, mas apenas usamos parte dela na nossa vida. O segredo é nos impor desafios, lutar contra a preguiça mental e usar bem e no máximo a porção que nos foi agraciada.

 

Um abraço a todos,

Paulo Murayama Rose Maciel

 

 

Qualidade, Inteligência e Experiência
Nossos compromissos com você